Tudobox

Saiba como o Estresse pode estar Matando Você

Conheça os malefícios do estresse em nosso organismo e saiba como evitá-lo.

Nos dias de hoje nossa rotina está repleta de situações estressantes que nos impõe raiva ou medo. São problemas no trabalho, discussões familiares, dificuldades financeiras, dentre inúmeras outras fontes de nervosismo.

Eventos estressantes frequentemente precedem ataques cardíacos e estão relacionados a hipertensão arterial, acidentes vasculares cerebrais, diabetes e outras doenças, sem mencionar os transtornos mentais como a depressão e ansiedade.

Mas o que realmente interessa é saber como o estresse (ou stresse) pode estar nos matando aos poucos. E aqui estão algumas maneiras de como o estresse afeta negativamente o nosso corpo.

• O estresse afetas as células exterminadoras naturais, que são um tipo de linfócitos (glóbulos brancos responsáveis pela defesa do organismo) com importante papel no combate a infecções virais e células tumorais.

Quando o nível de atividade destas células cai, você pode facilmente ser afetado por vírus e outros micróbios, além de células cancerosas poderem se multiplicar de forma desenfreada.

Isso pode explicar porque muitos pacientes com câncer relatam que sofreram um período de estresse extremo antes do diagnóstico da doença.

• Outra ação do estresse é reduzir a imunoglobulina A (IgA). Trata-se de um anticorpo presente principalmente em secreções como saliva, lágrima, leite, mucosas do trato gastrointestinal, trato respiratório e genitourinário.

O principal papel da IgA é proteger o organismo da invasão viral ou bacteriana através das mucosas, constituindo uma das primeiras linhas de defesa contra patógenos que tentam provocar infecções.

Um episódio de forte estresse por cinco minutos é suficiente para causar um impacto negativo sobre os níveis de IgA que pode durar até cinco horas.

• A flora intestinal também é prejudicada pela ação do estresse. Trata-se do conjunto de bactérias que naturalmente habitam o intestino, ajudando na digestão de alimentos e controlando o crescimento de microrganismos patogênicos.

A diminuição destas bactérias causa um desequilíbrio na população de microorganismos nocivos, comprometendo o bom funcionamento do intestino e gerando complicações em todo sistema digestivo.

Nesta altura você pode se questionar porque se diz "flora" intestinal ao invés de "fauna" intestinal, visto que as bactérias pertencem ao reino animal, e não ao vegetal. Ocorre que esta denominação foi criada na década de 50, quando elas eram realmente consideradas como vegetais. Posteriormente essa classificação mudou, mas o termo "flora intestinal" não deixou de ser utilizado por mera conveniência.

Fato é que o estresse tem um impacto negativo na flora intestinal, causando um desequilíbrio que pode causar doenças, como já citado.

Quando maior o tempo de nervosismo por medo ou raiva, mais você estará ajudando a multiplicação das bactérias ruins no seu intestino.

Estes são apenas alguns dos principais problemas relacionados ao estresse. A solução, evidentemente, é buscar uma rotina mais calma e encarar os problemas de um ponto de vista mais prático do que emocional.

Dar mais atenção à espiritualidade também pode ser de grande auxílio no combate ao estresse.










Redes Sociais






Todos os direitos reservados

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização

Editorial | Política de Privacidade | Contato